UMA AVENTURA NO AR

6 de setembro de 2009

 

No passado dia 6 de setembro de 2009, a SEMENTE proporcionou a 36 jovens de três instituições – Casa do Gaiato, Obra ABC e ACREDITAR (Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro) – Batismos de Voo de Helicóptero.

 

O testemunho de dois Voluntários da SEMENTE que participaram nesta atividade – Fernando Machado e Carlos Mendes – exprimem, exemplarmente, a dimensão de mais esta Aventura.


O que vos levou a serem Voluntários da SEMENTE?

Carlos: Nunca pertenci a nenhuma Associação, mas sempre tive espírito de Voluntário. Fui “Voluntário” durante anos, para os meus avós, levava-os a todo o lado e fazia-lhes tudo o que me pediam e sentia-me feliz por fazer o bem. Com a SEMENTE posso continuar a dar um pouco de mim aos que mais precisam.
Fernando: O que me levou a ser Voluntário da SEMENTE… é assim, eu também já passei por dificuldades… eu sou órfão de mãe e consigo ver o sofrimento dos miúdos, no caso desta última ação que tivemos, com os miúdos do Gaiato eu sei o que eles passam, já estive na pele deles… consigo emocionar-me e pôr-me na situação deles e acho que eles precisam de muita ajuda, não é? Como toda a gente. Não conseguimos ajudar a todos, mas de uma forma ou de outra vamos ajudando.

 

O que é para vocês serem Voluntários? O que representa a SEMENTE para vocês?

Carlos: Ser Voluntário é uma maneira de ajudar quem mais precisa. É uma forma de conviver com outras pessoas, de fazer o bem e de ajudar o próximo. A SEMENTE é o meio que me permite contactar com essas pessoas, que precisam de ajuda.
Fernando: Para mim ser Voluntário, se calhar, é talvez o que já disse… é assim, eu tenho um lema ‘antes quero ajudar do que ser ajudado’, porque se ajudamos é sinal de que podemos ajudar, se não for monetariamente é fisicamente. Agora, se formos nós a precisar de ser ajudados é uma situação muito difícil porque é sinal que a vida não nos corre bem. A SEMENTE é uma forma de integrar um grupo e exercer estas funções, porque senão de outra forma não conseguia ajudar tanta gente.

 

No âmbito da política de responsabilidade social da LIPOR, e com o objetivo de envolver os Colaboradores na promoção de uma melhor qualidade de vida da comunidade e de públicos com carências, numa perspetiva de solidariedade, foi criada a SEMENTE. O que acham que mudou?

Carlos: Acho que mudou as pessoas, … os meus colegas de trabalho com quem falei e que são Voluntários há mais tempo, todos disseram que se sentem mais unidos e com maior capacidade para ajudar os outros. Há uma maior sensibilidade para os problemas do nosso país.
Fernando: Tem mudado muita coisa… (a pergunta é longa!) mas tem mudado muita coisa. Têm-se atingido alguns objetivos, tem-se ajudado muita gente, acho que, não sei, a pergunta é um bocado longa, mas acho que aumentou a nossa responsabilidade. Deixamos de olhar só por nós abaixo, passamos a olhar para aqueles que nos estão próximos e precisam da nossa ajuda.

 

Relativamente a esta atividade em concreto, já tinham andado de avião/helicóptero? Como é que a descrevem esta (nova) experiência?

Carlos: Para mim foi mesmo o meu Batismo de Voo. Foi a primeira vez que andei de helicóptero. No início tive algum receio, talvez porque fui à frente ao lado do piloto e via tudo. Mas, depois, ao ouvir os comentários dos jovens que iam comigo (os Gaiatos) tão contentes… Eles riam-se, faziam perguntas… notava-se que estavam felizes. Gostei muito da experiência.
Fernando: Eu nunca tinha andado de avião ou de helicóptero. Eu acho que para mim também foi uma emoção enorme. Eu não contava… pensei que fosse acompanhar os miúdos, que ia mete-los no helicóptero e depois ficava à espera deles. Quando soube que também ia fiquei com aquela curiosidade… senti-me um miúdo tal como eles, senti uma forte emoção.

 

Para finalizar, completem a frase: a SEMENTE é…

Carlos: A SEMENTE é uma Associação de Futuro.
Fernando: A SEMENTE é… A SEMENTE é… (alguns segundos de silêncio). A SEMENTE é Ajuda, não sei… é voluntariado, é estar próximo de quem mais precisa.

 

 

 

<< voltar
Formato Verde