VISITA AOS SEM-ABRIGO

maio de 2007

 

Os Sem-Abrigo, pelo público-alvo delicado que são, normalmente, mantêm uma certa distância com as pessoas que os abordam, por vários motivos, o mais certo, a vida na rua. A forma de vida, sem regras, é muitas vezes considerada pela sociedade civil, como ‘um mundo à parte’ em que muitos não gostam, não querem saber, nem tão pouco participar. Os Sem-Abrigo são filhos do acaso e ao acaso parecem não amar, nem serem amados por ninguém. Torna-se chocante perceber até que ponto pode chegar a degradação humana (condições sociais e humanas).

 

A SEMENTE, não estando indiferente a esta realidade, priorizou fazer algo por este público tão especial e diferente, seres humanos que vivem na mais plena miséria, não só económica mas, sobretudo, social, emocional e física. Assim, e em colaboração com a Legião da Boa Vontade (LBV), o mês de maio de 2007 foi dedicado aos Sem-Abrigo da Cidade do Porto.

 

A LBV proporcionou a 14 elementos da SEMENTE e 2 colegas da Maiambiente a participação no programa ‘Ronda da Caridade’, um trabalho itinerante de apoio aos Sem-Abrigo, que se baseia em percorrer as ruas da Cidade do Porto, nas noites de sexta-feira e sábado e cujo objetivo consiste em distribuir alimentos (sopa quente, pão, leite, sumos, frutas), roupa quente (cobertores, casacos, camisolas) e calçado. Os alimentos distribuídos nas rondas, normalmente, resultam de donativos de várias entidades à instituição. No caso particular da participação da SEMENTE no programa da LBV e com o apoio da LIPOR, foi possível assegurar o fornecimento de 240 litros de leite e 1008 garrafas de água (a água oferecida pela UNICER, especialmente para esta atividade).

 

Foi com enorme satisfação e com a sensação de dever cumprido que esta ação foi concluída. Na verdade, a maioria dos Voluntários da SEMENTE que participaram nesta atividade demonstraram sentimentos de grande gratificação pelo trabalho social que prestaram e uma enorme vontade de voltar e repetir esta experiência tão enriquecedora.

 

Testemunho de um dos Voluntários da SEMENTE a propósito da sua participação nas rondas da caridade: “A condição do sem-abrigo impressiona-me profundamente, ainda mais na sociedade em que vivemos. Muitos de nós, olham para eles e sentem-se incomodados e impotentes, mas na realidade nada fazem para tentar ajudá-los. Todavia, podemos aliviar um pouco a nossa consciência dando-lhes uma moeda ou comida. No entanto, há qualquer coisa que continua a inquietar por dentro. A culpa não é nossa, individualmente, mas se calhar também não é deles. É bom que nos sintamos incomodados e que façamos alguma coisa significativa. Algo que os alivie e, além disso, que evite o aparecimento de outros como eles. Nada nos garante que, um dia, não seja um de nós, um amigo ou um familiar. Com a participação na ‘Ronda da Caridade’ senti que fiz algo de significativo e verdadeiramente útil. Fiquei mais consciente das condições precárias em que sobrevivem estas pessoas e, por este motivo, pretendo efetuá-lo muitas mais vezes. Não posso ficar indiferente!”

 

 

 

<< voltar
Formato Verde